Oftalmopatia de Graves

O hipertiroidismo é caracterizado clinicamente por emagrecimento, sudorese, aumento da freqüência cardíaca, tremores de extremidades e uma série de outros sinais e sintomas decorrentes de excesso de hormônios tiroidianos na circulação.

A forma mais comum de hipertiroidismo é a doença de Graves. Trata-se de uma doença autoimune: o organismo produz anticorpos que agridem a tiróide, estimulando a produção de hormônios tiroidianos além da necessidade corporal.

Esta doença debilitante freqüentemente está associada a uma diminuição da qualidade de vida dos indivíduos afetados, e apesar do recente progresso no entendimento de seus mecanismos, seu tratamento por vezes não é satisfatório.

A oftalmopatia é a principal complicação da doença de Graves, chegando a ocorrer em até 90% dos casos e advém da inflamação tanto dos músculos que controlam o movimento dos olhos quanto da gordura que preenche a cavidade da órbita. Felizmente, na maioria dos casos, a manifestação da doença é leve. Contudo, cerca de 5% dos pacientes podem apresentar graus mais importantes  caracterizados por inflamação nos olhos e pálpebras, exoftalmia (os olhos ficam mais salientes), diplopia (visão dupla) e até mesmo, perda de visão, embora felizmente muito rara.

Cuidados gerais, como o uso de óculos escuros e colírios lubrificantes, são indicados na forma mais leve da doença. Nas formas mais graves, a inflamação pode ser tratada com drogas antiinflamatórias, como os corticóides, ou com radioterapia. E, nos casos que evoluem cronicamente com fibrose dos músculos oculares, a cirurgia com correção da exoftalmia e do estrabismo pode ser indicada.

Apesar destas incertezas, é essencial que o paciente com hipertiroidismo siga corretamente as orientações de seu endocrinologista já que o controle clínico da doença com drogas antitiroidianas que controlam o metabolismo da tiróide ou o tratamento definitivo com iodo radioativo, ou mesmo cirurgia, é fundamental para que a oftalmopatia de Graves não piore.

É necessário encorajar o abandono do fumo visto que existe uma relação importante entre o cigarro e a gravidade da doença.

Dr. Francisco Finamor
Endocrinologista
CRM 80765