Cirurgia bariátrica

Devido ao crescimento do número de pacientes com obesidade grave e considerando a falha do tratamento nutricional-medicamentoso em grande parte destes indivíduos, a cirurgia bariátrica tem sido considerada cada vez mais como opção de tratamento.

Ela é indicada para pacientes que não tenham obtido sucesso na perda de peso com outros tratamentos e com IMC (índice de massa corporal) ≥ 40 Kg/m² ou IMC≥ de 35 Kg/m² associado a complicações como diabetes, pressão alta, apnéia do sono e problemas em articulações que prejudiquem a mobilidade.

A técnica mais utilizada atualmente é a chamada Derivação Gastrojejunal em Y-de-Roux ou Fobi-Capella. Neste procedimento, são realizadas duas intervenções, uma com o objetivo de diminuir a quantidade de comida ingerida (redução do tamanho do estômago) e outra com a finalidade de reduzir a absorção dos alimentos digeridos (alteração do trânsito intestinal). Com o avanço das técnicas de cirurgia, é possível fazer esta operação por meio de vídeo-laparoscopia.

Existem outras técnicas cirúrgicas – aquelas que apenas reduzem a ingestão de comida – as chamadas restritivas ( banda gástricagastrectomia vertical) e as que predominantemente diminuem a absorção dos alimentos (derivação bilio-pancreática).

Abaixo, a ilustração das diferentes técnicas:

Cirurgia bariátrica

Entre os benefícios observados após o tratamento com cirurgia bariátrica temos remissão do diabetes em aproximadamente 80 a 90% dos casos que ocorre mesmo antes de começar a perda de peso (referência), controle da pressão arterial, redução do colesterol e triglicérides, menor carga sobre as articulações, desobstrução das vias aéreas facilitando a respiração e  melhora da auto-estima.

As principais complicações da cirurgia bariátrica estão relacionadas às queixas digestivas, como intolerância alimentar, vômitos e síndrome de dumping (sensação de náusea, sudorese, agitação e diarréia logo após ingestão de alimentos ricos em açúcar), e deficiências nutricionais, como  queda de cabelo, anemia e deficiências vitamínicas.

Vômitos podem ser evitados pela introdução gradual dos alimentos e atenção à mastigação. A síndrome de dumping é tratada pela escolha adequada dos componentes do plano alimentar. As deficiências nutricionais são corrigidas pelos suplementos vitamínicos. As deficiências mais comuns são de ferro, vitamina B12, cálcio e vitamina D.

A cirurgia bariátrica apresenta altas taxas de sucesso, porém, como todo procedimento cirúrgico, possui riscos e complicações. O paciente que tem indicação e está interessado em fazer o tratamento deve tomar a decisão após conhecer todas as particularidades envolvidas no procedimento como: técnica cirúrgica, planejamento nutricional, possíveis complicações, detalhes do seguimento, etc. Além disso, ele deve entender que haverá uma mudança de hábito alimentar onde será necessária muita dedicação e disciplina para que tudo ocorra bem.

É importante salientar a importância de uma equipe multidisciplinar que atue antes, durante e após a cirurgia, a fim de avaliar se o indivíduo está apto a realizar o procedimento e auxiliar no pós-operatório evitando complicações e garantindo sua eficácia. Esta equipe idealmente deve ser composta por nutricionista, endocrinologista, psiquiatra e psicólogo.

Referência: Dixon JB, Le Roux CW, Rubino F, Zimmet P. Bariatric surgery for type 2 diabetes. Lancet. 379:2300-2311 (2012)

Dr. Rafael Pergher
CRM 116112